Você está preparado para a nova era computacional?

Estamos cada vez mais próximos de um panorama onde sistemas irão interagir de forma mais integrada com os seres humanos
Estamos cada vez mais próximos de um panorama onde sistemas irão interagir de forma mais integrada com os seres humanos

Uma nova Era Computacional se aproxima e com força. Imagine um cenário onde um computador com Inteligência Artificial, mais rápido e mais inteligente que você, trabalhando ao seu lado, trocando informações, aprendendo, avaliando movimentações da empresa, tendências de mercado e tomando decisões. E o melhor, sabe quem será o chefe dele? Você.

Estamos cada vez mais próximos de um panorama onde sistemas irão interagir de forma mais integrada com os seres humanos através de três pilares: compreensão da linguagem natural, capacidade de aprendizagem e da identificação de padrões ou insights, beirando o raciocínio humano.

Vivemos um período da mais pura disrupção proporcionada por uma solução inovadora que irá mudar a forma como interagimos com os sistemas. Especialistas dizem que estamos entrando na Terceira Era Computacional onde as possibilidades serão inúmeras, transdisciplinares e que poderão ajudar bilhões de pessoas. E os exemplos aplicáveis são muitos.

Na área da saúde, a tecnologia ajudará a economizar tempo e a direcionar as pesquisas dos cientistas. A Associação Americana de Diabetes já disponibilizou todos seus estudos para a computação cognitiva e, no Japão, um sistema foi capaz de identificar um tipo raro de leucemia cruzando os dados da paciente com as informações armazenadas no servidor.

Na gastronomia já existem funcionalidades que basta informar os produtos você tem na geladeira, que o sistema indica para quais receitas podem ser feitas baseado nas suas preferências.

Instituições financeiras poderão tornar o atendimento mais humanizado, auxiliando gerentes de contas a recomendarem investimentos conforme o perfil do cliente e, claro, melhorar a experiência e o relacionamento com os bancos. Imagine você explicando, por voz, seu problema e sendo encaminhado para o departamento correto, em vez teclar números que correspondem a opções limitadas e que, muitas vezes, acabam em estresse e perda de tempo. Num futuro próximo, quem sabe, entraremos em uma agência bancária e seremos atendidos por robôs com este tipo de inteligência.

E para auxiliar o sistema judiciário, então? A computação cognitiva pode atuar de forma muito eficiente na análise de processos, servindo como uma fonte de consulta avançada – uma biblioteca virtual – que adquire novos conhecimentos conforme eles surgem e com a vantagem de aprender, progressivamente, por causa de seu relacionamento com as pessoas.

No agronegócio será possível mitigar os riscos do mercado, que tanto sofre com intempéries, aumentando a assertividade das previsões, permitindo uma melhor preparação para as próximas safras.

Mas a grande revolução mesmo será no mundo dos negócios. A computação cognitiva será um um motor para produtividade dentro das empresas, traçando perfis dos clientes através de redes sociais, e-mails ou mesmo analisando o seu tom de voz. Com estas informações, o gestor poderá verificar qual dos seus vendedores tem o perfil mais compatível para realizar a venda, tornando o processo mais agradável para ambas as partes.

E isso é só o começo. Os sistemas de gestão empresarial poderão apoiar os demais usuários a realizarem suas tarefas, avaliando o uso diário do usuário no sistema, podendo antecipar ações que o usuário realiza e entregando estas informações antes mesmo que ele solicite para a ferramenta. Além de tornar o dia mais produtivo, facilitando os processos das empresas, o assistente irá apoiar nas tomadas de decisões dos gestores.

As opções devem crescer em um ritmo acelerado e em um breve futuro você estará compartilhando a sua mesa de trabalho com um sistema de inteligência artificial. Mas não tenha medo disso, pois isso vem para auxiliar a atingir os seus objetivos.

Fonte:  computerworld