A difusão da TI na empresa como um todo

Empresas de todos os segmentos já possuem seus próprios departamentos de TI ou fazem uso de alguma tecnologia por meio de outsourcing, ou terceirização, termo mais conhecido no Brasil. Contudo, percebeu-se que as mesmas paredes que organizam as corporações em diferentes setores, acabam também por dividi-las. Em um mercado que exige vasto conhecimento global e caráter inovador por parte de seus profissionais, hoje a tecnologia é a via capaz de reunificar estes esforços em nome de maior eficiência.

A estrutura vertical das empresas, regida pela hierarquia e divisão das tarefas, delimitou os profissionais em especialidades. Isso acabou por gerar silos, que muitas vezes não se conversam e atuam no sentido contrário ao do core business. A “horizontalização” do trabalho tem sido uma boa saída para formar um ambiente que estimule a integração de equipes e o conhecimento sobre as missões e os valores de uma instituição – sendo a tecnologia peça central para este processo. Com isso, já tem início um movimento que aposta na cultura da “TI na empresa como um todo”.

Benefícios da expansão da TI pela empresa
Ao invés de investir em um departamento de TI centralizador, que reúna as soluções e a responsabilidade exclusiva por inovar em um negócio, o que se vê é outro panorama. A otimização da infraestrutura e a implantação de sistemas de TI já é realizada também em outros setores de uma empresa, como o jurídico, o de recursos humanos ou de compras, por exemplo.

Além de melhorar a agilidade nas demandas de trabalho, expandir a área de TI dentro de uma empresa torna mais intuitiva e padronizada a atividade realizada por departamentos distintos. Ou seja, melhora a compreensão dos profissionais como um todo acerca de cada atividade realizada para o sucesso nos negócios.

Métodos ágeis em outros departamentos
Todavia, a tecnologia não tem um papel meramente técnico nesta “reintegração”. Um bom exemplo de que esta tendência vai além da reestruturação física de departamentos é a metodologia DevOps. Em sua essência, esta cultura atua na melhora da comunicação, colaboração e integração entre os envolvidos em todo o ciclo de vida de um projeto. Isto significa que este formato se encaixa em diversas etapas, como no desenvolvimento, nas operações e na garantia de qualidade.

O mesmo já acontece com outros serviços que costumam ser ligados à TI, mas que hoje já ganham espaço em outros braços de um negócio. Como exemplo do caráter universal da TI nos negócios, pode-se citar o capacity planning, a filosofia Lean IT, a otimização de processos e métodos ágeis são exemplos.

Os cuidados com a TI invisível
Apesar de a difusão de tecnologias pela empresa ter estes aspectos positivos, levando o potencial de inovação para outros departamentos além da TI, é preciso ressaltar que há perigos que podem gerar danos aos negócios.

A chamada Shadow IT, ou TI invisível, é um comportamento que acontece quando os profissionais fazem uso de tecnologias não aprovadas por suas empresas, pois desejam resolver demandas internas e sequer se dão conta de respeitar importantes protocolos de segurança. Dados compartilhados por meio destas ferramentas podem não estar seguros o suficiente e, além disso, podem também não estar em conformidade com os padrões formalizados pela empresa.

Expandir a tecnologia para a empresa como um todo é muito mais que uma tendência: é um caminho para superar metas e atender a um mercado concorrido e exigente. Nossos especialistas podem ajudá-lo. Entre em contato conosco aqui.

Fonte: inmetrics