5 passos para um CONTROLE DE EPI eficiente

Em síntese, os EPIs correspondem a todos os equipamentos de proteção individual que têm como função assegurar a manutenção da integridade física e a saúde dos profissionais durante a execução de seus serviços.

Ou seja, o uso de um Equipamento de Proteção Individual é essencial, mas somente o uso não é tudo, é preciso que as empresas desempenhem um controle de EPI conscientizando os trabalhadores sobre a forma correta de utilizar, oferecendo equipamentos de qualidade e que estejam dentro do prazo de vida útil.

Por essa razão, neste post mostramos como fazer um controle eficiente de EPI! Acompanhe os tópicos seguintes!

  1. Utilize um sistema de gestão

Nos dias de hoje, existe uma série de ferramentas disponíveis no mercado para auxiliar os empresários a evitar acidentes de trabalho nos mais variados segmentos.

O ideal é que a empresa escolha uma solução que alie o software de gestão ao de controle e a manutenção dos EPIs, sobretudo, as indústrias e os nichos de construção e de serviços.

  1. Invista em treinamentos

Promover reuniões regularmente com os profissionais é uma ótima iniciativa para demonstrar a importância do uso dos EPIs. Também é uma grande oportunidade de apresentar as formas corretas de utilizar os equipamentos e conservá-los para aumentar a vida útil.

Outra estratégia que deve ser abordada nesse sentido é divulgar informações por meio de canais de comunicação, tais como jornais internos, murais e intranet. Promover esse compartilhamento de informações criar uma cultura organizacional de segurança e prevenção de acidentes.

  1. Promova manutenções periódicas

Investir na manutenção periódica dos equipamentos de proteção individual significa garantir a segurança do trabalhador, além de viabilizar que ele possa ser utilizado durante muito mais tempo.

Se tratando dos EPIs não descartáveis, é preciso que todos sejam orientados de como lavá-los e que cuidados especiais devem ser tidos para conservá-los.

  1. Automatize o controle de EPI

Dentre os principais instrumentos para se exercer o controle sobre o fornecimento e a utilização dos equipamentos de segurança, as fichas de controle de EPI são as mais recomendadas.

Assim, cada vez que um EPI for entregue ao trabalhador, ele assina o documento e a empresa tem como consultar este registro em casos de acidentes de trabalho, a fim de identificar se houve alguma falha no processo de entrega ou se o próprio profissional cometeu algum equívoco.

Para facilitar ainda mais este processo, você pode automatizar o controle de EPI, integrando as informações coletadas em campo, com o apoio de dispositivos móveis, por exemplo, com os dados do seu sistema de gestão integrada – ganhando, assim, agilidade e praticidade na operação, e maior capacidade de gestão, visto que tudo está digitalizado e nada mais em pilhas de papel.

Ao buscar opções no mercado, leve em conta fornecedores que, como a SGE Insoft, possuem expertise no segmento.

  1. Teste os equipamentos antes do fornecimento

Para ter certeza de que o EPI é, de fato, eficiente e apropriado ao tipo de serviço para o qual será fornecido, é importante realizar testes com os equipamentos de proteção antes de disponibilizá-los aos demais colaboradores.

Por meio desses testes com profissionais pré-selecionados, esses poderão identificar possíveis incômodos causados pelos equipamentos, ou eventuais ineficiências. Essa ação evita que problemas muito maiores venham acometer a empresa, se todo o corpo de colaboradores utilizasse o EPI desde o início.

A sua empresa desenvolve um controle de EPI? Não se preocupe, havendo alguma dificuldade na implementação, basta deixar um comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *