3 erros de controle financeiro e como evitá-los

Obter uma gestão financeira eficaz é de grande importância para qualquer empresa.

Planejamento e organização devem ser as palavras de ordem para que as operações prosperem e o empresário evite dores de cabeças desnecessárias, ou, ainda, tenha a triste tarefa de anunciar o fechamento das portas. Afinal de contas, sem o correto controle do dinheiro que entra e sai do negócio, fica cada vez mais difícil trilhar o caminho correto rumo ao sucesso empresarial.

Para não ter esse dissabor, deve-se estar atento à prevenção de alguns erros comuns nas finanças de diversas pequenas e médias empresas. Fique ligado e veja como evitar:

 

1-   Falta de controle de estoque

O produto oferecido por sua empresa é o principal gerador de renda para manter o negócio em ascensão. Portanto, são grandes as chances de prejuízo se não houver controle de estoque. Atente-se para não deixar muitos itens parados ou em falta.

No primeiro exemplo, a companhia acumulará perdas financeiras por ter produto estagnado na prateleira, enquanto no segundo perderá vendas. O ideal é equilibrar, mantendo a quantidade adequada de produtos conforme a demanda.

 

2-   Não registrar as operações realizadas

Não manter o hábito de registrar todas as operações do negócio é bastante comum entre os gestores brasileiros – sobretudo àqueles que controlam micro e pequenas empresas. Embora pareçam inofensivos, esses valores se acumulam e quanto maior é o número de operações, maior é o valor total.

Muitas vezes, pequenos gastos são deixados de lado pelo negócio, indo desde os pequenos descontos em operações bancárias até valores diferentes de caixa.Isso atrapalha a gestão financeira porque, ao serem ignorados, esses gastos impedem que as contas fechem adequadamente.

Por isso, o melhor é fazer o registro, inclusive no fluxo de caixa, de todos os gastos, por menores que sejam.

A gestão financeira consiste na aplicação de técnicas e uso de ferramentas que ajudem a controlar as finanças do negócio. É essa gestão a responsável por diagnosticar a saúde financeira do negócio, assim como por garantir que o negócio disponha dos recursos necessários para proceder.

 

3-   Não ter um sistema de gestão

Não utilizar um sistema de gestão no dia a dia é um dos erros mais comuns na gestão financeira de uma empresa – não importa o seu tamanho. A falta desta ferramenta faz com que o gestor desconheça os detalhes das operações e processos do seu próprio negócio, aumentando exponencialmente as chances de erros e dificuldades em todos os setores da empresa.

Por isso, quando o assunto é controlar o fluxo de caixa e os serviços oferecidos aos clientes, nada melhor que um sistema de gerenciamento financeiro, como o sistema SGE – que permite aos usuários realizar o monitoramento das mais diversas informações inerentes à gestão financeira do negócio. Conhecer e controlar corretamente estes dados permite ao gestor reconhecer eventuais problemas e até mesmo oportunidades, ajudando a empresa a crescer ao longo do tempo.

Além de atuar no presente, a gestão também é feita com olhos no futuro, de modo que ajude a segurança e robustez do empreendimento.

Negócios promissores para 2019: Conheça 3 opções para você lucrar

 

Quer saber quais são os negócios promissores para 2019?

Pois é, nesse período de incertezas, o ideal é que você aposte em uma alternativa realmente interessante.

E não é só porque a economia ainda está em um processo de retomada, mas também porque o próprio contexto de eleições pode promover mudanças significativas.

Não, isso não significa que você não deve montar um negócio.

Muito pelo contrário, mas é importante que escolha uma opção com mais chances de lucros diante do cenário.

E então, quer saber quais são os negócios promissores para 2019?

Leia esse artigo e descubra! Continue lendo Negócios promissores para 2019: Conheça 3 opções para você lucrar

SGE – O ERP da Insoft

O Sistema de Gestão Empresarial SGE da Insoft Informática foi desenvolvido com o objetivo de fornecer as ferramentas necessárias para automatizar e integrar os processos de negócio da empresa em tempo real. Isto permite à empresa tomar decisões com base em informações que refletem o andamento da empresa.

O sistema possui módulos desde a gestão de compras até as obrigações fiscais e contábeis de uma empresa para atender as necessidades de pequenas e médias empresas do comércio varejista até a indústria de transformação.

O SGE é uma solução própria desenvolvida pela Insoft, o que permite uma grande flexibilidade de adaptação do sistema aos processos das empresas permitindo um atendimento mais personalizado ao cliente incluindo as peculiaridades inerentes do negócio.

Módulos que o SGE possui:

  • ESTOQUE – Realiza o controle das movimentações de estoque (por empresa);
  • VENDAS – Controle de orçamento, consignação, ordens de serviço, pedidos de venda (sistema eletrônico de aprovação);
  • COMPRAS – Ordens de compra (sistema eletrônico de aprovação);
  • ATENDIMENTO – Agenda de compromissos (com agendamento automático de contatos com clientes);
  • CUSTOS – Atualização automática dos custos de produtos/serviços;
  • FINANCEIRO – Controle das receitas e despesas da empresa através do contas a pagar e receber;
  • DOCUMENTOS FISCAIS – Controle dos diversos tipos de documentos fiscais (NF-e, NFC-e, NFS-e, CT-e, MDF-e, Nota Formulário e Cupom Fiscal) gerados pelo sistema.

 

MÓDULOS ADICIONAIS:

  • Fiscal: escrituração fiscal e gerenciamento das movimentações fiscais de entrada e saída;
  • Produção: configurador de estrutura de produtos e roteiro de produção;
  • Equipamentos de Proteção Individual (EPI): gerenciamento dos equipamentos de proteção individual;
  • CT-e: emissão e gerenciamento de Conhecimentos de Transporte Eletrônicos (CT-e) e Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos (MDF-e);
  • Mobile: emissão de pedidos de venda remoto para smartphones e tablets Android;
  • Gestão de Pessoas: gerenciamento das informações dos colaboradores da empresa;
  • Contábil: mensuração dos registros contábeis;
  • TEF: permite pagamento com mais de 250 bandeiras de cartão de crédito/débito através da plataforma Scope.

Interessou? Solicite uma demonstração.

Módulo de contas a receber: organize as finanças e ajude o seu negócio a crescer

Quer saber por que contratar um sistema com módulo de contas a receber?

Primeiro, porque ele permite que você tenha total conhecimento e clareza do dinheiro que entra na empresa.

Dessa forma, além de ter uma visão mais ampla do seu negócio, você ainda vai ver uma boa quantia sobrar no final do mês.

Continue lendo Módulo de contas a receber: organize as finanças e ajude o seu negócio a crescer

BLOCO K – Sua empresa está adequada para essa nova obrigação?

Você provavelmente já ouviu sobre o Bloco K, mas você sabe o que é e do que se trata?

A implantação do Bloco K é uma ação da Receita Federal que tem como objetivo diminuir a sonegação fiscal, ato considerado crime, de acordo com a lei N° 4.729, de 14 de julho de 1965.

Trata-se de uma das partes de informação do SPED Fiscal ICMS/IPI, que constitui no livro eletrônico de Registro de Controle da Produção e do Estoque.
O livro Registro de Controle da Produção e do Estoque é destinado à escrituração dos documentos fiscais e dos documentos de uso interno do estabelecimento, correspondentes às entradas e às saídas, à produção, bem como às quantidades dos estoques de mercadorias. Logo, o Bloco K está diretamente ligado ao estoque e ao controle de produção, fornecendo informações em tempo real sobre a produção, insumos e estoque final já escriturado (com descontos de entradas e saídas).

Com a chegada dessa obrigação, as empresas terão uma fiscalização mais rigorosa sobre os seus processos.

Todas as indústrias, ou empresas equiparadas a indústria, e estabelecimentos atacadistas serão obrigados a enviar de forma digital para a Receita Federal o Livro de Registro do Controle de Produção e do Estoque, através do arquivo digital SPED Fiscal EFD-ICMS/IPI.
Foram estabelecidos prazos para que o Bloco K entre em vigor em definitivo, e alguns deles começaram a valer a partir de 1° de janeiro de 2018. Contudo, nem todas as companhias estão preparadas para isso e a não observância das exigências legais pode resultar em multas e dores de cabeça com a Receita Federal.

E sua empresa, já está preparada para a implantação do Bloco K ?

Muitas empresas ainda não se deram conta de que esta nova obrigação exigirá não apenas a implantação de um sistema capaz de gerar os arquivos eletrônicos, mas também a revisão e adaptação de processos e regras de negócio no processo produtivo e de gestão de estoques para atender a nova legislação.
O ideal é que a implantação do Bloco K seja tratado como um projeto estratégico e com o envolvimento direto das áreas de negócio responsáveis pelos processos produtivo, engenharia, gestão de estoques e fiscal da empresa. Portanto, fique atento aos prazos não deixe para última hora!

O SGE está preparado para a geração do Bloco K e oferece o suporte necessário para que as empresas atendam as novas exigências legais de forma prática e precisa. Além disso, contamos com uma equipe de consultoria especializada que poderá auxiliar sua empresa em todo este projeto.

Entre em contato conosco, agende uma visita, tire todas as suas dúvidas sobre o Bloco K e saiba como a Insoft pode ajudar a sua empresa nesse processo.

5 passos para um CONTROLE DE EPI eficiente

Em síntese, os EPIs correspondem a todos os equipamentos de proteção individual que têm como função assegurar a manutenção da integridade física e a saúde dos profissionais durante a execução de seus serviços.

Ou seja, o uso de um Equipamento de Proteção Individual é essencial, mas somente o uso não é tudo, é preciso que as empresas desempenhem um controle de EPI conscientizando os trabalhadores sobre a forma correta de utilizar, oferecendo equipamentos de qualidade e que estejam dentro do prazo de vida útil.

Por essa razão, neste post mostramos como fazer um controle eficiente de EPI! Acompanhe os tópicos seguintes! Continue lendo 5 passos para um CONTROLE DE EPI eficiente

Como melhorar a retenção de clientes

Uma das mais eficazes formas de aumentar o faturamento, a longevidade e a previsibilidade de receita de uma empresa é melhorar a retenção de clientes.Isso porque, uma empresa com foco apenas para atrair novos clientes ao invés de cuidar melhor dos que estão na base está gastando mais. O especialista em Marketing Philip Kotler estima que conquistar um novo cliente custa de 5 a 7 vezes mais que manter um atual.

Quer dicas de como melhorar a retenção de clientes e aprender conceitos chaves para o bom desempenho do seu negócio?  Continue lendo Como melhorar a retenção de clientes

Administração de estoque: como um sistema ERP pode reduzir consideravelmente os gastos da empresa?

Que a boa administração de estoque é essencial em qualquer empresa com certeza você já sabe.

Mas será que é possível fazer esse processo de uma maneira mais eficiente e assim reduzir consideravelmente os custos da organização?

Continue lendo Administração de estoque: como um sistema ERP pode reduzir consideravelmente os gastos da empresa?